sexta-feira, 21 de maio de 2010

DOSSIÊ MULHERL 2010

A deputada Cida Diogo acompanhou nesta quinta-feira, dia 20 de maio, a cerimônia de lançamento do Dossiê Mulher 2010 do Instituto de Segurança Pública do Rio de Janeiro (ISP/RJ). O evento aconteceu no Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (Cedim). O Dossiê Mulher é um relatório que apresenta dados estatísticos de violência contra a mulher em todo o estado do Rio de Janeiro. Além da deputada, participaram do evento a delegada responsável pelas Delegacias Especiais de Atendimento à Mulher (DEAM’s) no estado, Marta Rocha; a superintendente da Comissão de Direitos da mulher, Cecília Teixeira Soares; e o vice-presidente do ISP/RJ, tenente coronel Robson Rodrigues da Silva.
O documento vem sendo regularmente desenvolvido e divulgado pelo Instituto de Segurança Pública desde o ano de 2005, com base nos dados provenientes dos registros de ocorrências da Polícia Civil. A partir dos dados obtidos, o ISP pretende ajudar na conscientização da sociedade brasileira sobre a necessidade de combater a violência praticada contra a mulher. O relatório recente constata que as mulheres continuam sendo as maiores vítimas de lesão corporal dolosa (88% do total de vítimas), estupro (73% do total de vítimas – em virtude da mudança proporcionada pela Lei 12.015/09, estupro corresponde ao somatório de atentado violento ao pudor e estupro) e a ameaça (66% do total de vítimas).
Com relação aos 50,2% dos registros de ameaça e aos 51,9% de lesão corporal, os acusados foram identificados como companheiros ou ex-companheiros das vítimas; nos estupros, 29% eram pais, padrastos ou parentes das vítimas e, se ainda somarmos os companheiros, ex-companheiros e pessoas conhecidas. De acordo com o documento, é possível concluir que, em 49,3% dos estupros registrados, a vítima conhecia o acusado; já em relação aos 30,3% dos registros de tentativa de homicídio e 11,3% de homicídios dolosos, os acusados também eram companheiros ou ex-companheiros das vítimas.
Quanto ao perfil das vítimas, o dossiê constatou que, em 56,8% do total de registros de ameaça e em 52,9% de lesão corporal dolosa, as mulheres tinham entre 25 e 44 anos de idade; quanto aos estupros, 58,4% das vítimas eram meninas entre 0 a 17 anos; nos crimes de tentativa de homicídio, 44,8% das mulheres vítimas tinham entre 25 e 44 anos, e nos homicídios, 36% das vítimas tinham entre 18 e 34 anos.
“É impressionante os números levantados pelo do Instituto de Segurança Pública. Inadmissível que ainda tenhamos que conviver com esse tipo de estatística triste. Essa é uma situação assustadora que deve ser muito discutida para que juntos possamos encontrar soluções e ajudar essas mulheres que não devem ser sujeitas a esse tipo de humilhação”, declarou a deputada Cida Diogo, que esteve presente ao evento.

Nenhum comentário:

Seguidores

Loading...