quinta-feira, 27 de novembro de 2008

PREMIO NOBEL


Neste dia, em 1895, o fabricante de explosivos Alfred Nobel assinou o seu testamento, no qual criou o Prémio Nobel.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

MEIO AMBIENTE E AS MULTAS, PRA QUE SERVEM?


Em março de 2003, aIndústria Cataguases de Papel liberou 1,2 bilhões de litros de resíduos tóxicos no córrego Cágados, que atingiu o Rio Pomba em Minas e chegando ao rio Paraiba do Sul, ocasiando um grande desastre ambiental. Naquela ocasião, uma pesada multa foi aplicada, tendo os diretores da aludida indústria sido responsabilizados criminalmente. A primeira vista, se imaginou que, apesar dos transtornos e estragos, nós dificilmente veríamos novos desastres acontecerem.

Mas, para desagradável surpresa, vem agora a Indústria Química Servatis, no município de Resende, no sul fluminense e lança 1,5mil litrros de pesticida (Endosulfan) no Rio Pirapetinga e que acaba de chegar a cidade de Campos dos Goytacazes, outra vez através do Rio Paraiba do Sul, gerando mais uma vez um estrago enorme ao meio ambiente e um grande transtorno à população do norte e noroeste fluminense, com a suspensão da captação.

A informação é que o acidente foi em decorrência de uma falha no descarregamento do produto na Indústria. E mais uma vez vez a FEEMA e aplica a multa de 33 milhões de reais. Ao olhar o quadro terrível dos peixes morrendo nas águas do Paraiba e antevendo os grandes e insanáveis prejuizos e o anos que a natureza levarápara se recuperar, fica a seguinte indagação. Para que servem essas multas, se esses recursos não vão contribuir para uma fiscalização preventiva não só nas indústrias que margeiam o Paraiba do Sul, como também um intercâmbio com outros órgãos afins em outros Estados, se aquela multa que ocorreu em 2003, no caso da Indústria Cataguazes de Papel, de nada valeram? Com a palavra os responsáveis pelos órgãos de fiscalização já que o prejuizo já sabemos que ficaram para o meio ambiente e para nós.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

I SIMPÓSIO DE SEGURANÇA NO TRABALHO NESTA QUARTA, QUINTA E SEXTA


Acontece nesta quarta, quinta e sexta o I SIMPÓSIO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO NA REGIÃO NORTE E NOROESTE FLUMINENSE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. O evento será realizado no auditório da Fundação Trianon. Na quinta-feira quem vai estar presente ao Simpósio, como palestrante, será a Deputada Federal do PT Cida Diogo. O Simpósio é uma realizaçãodo Ministério do Trabalho e está sendo coordenado pelo companheiro Elton Pessanha Alvarenga. Segundo Elton " uma excelente ocasião para Empregados e Trabalhadores da região participarem, com a finalidade da diminuição dos índices de acidentes do trabalho, hoje considerados altos".

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

E AS OBRAS EMERGENCIAIS?


As fortes chuvas que caem sobre a cidade há alguns dias vem comprovar, sem dúvidas, que as obras emergenciais que representaram muitos milhões para os cofres da Prefeitura, durante a enchente de 2007, foram muito mal feitas ou nem foram realizadas. A situação é bastante preocupante, não só para a cidade como quase em toda a zona rural, onde elas também foram anunciadas como feitas.

sábado, 22 de novembro de 2008

ACONTECEU


Neste dia, em 1963, foi assassinado John Fitzgerald Kennedy, Presidente dos Estados Unidos.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

ACONTECEU


Neste dia, em 1694, nasceu Voltaire, filósofo e revolucionário francês.

ACONTECEU


Neste dia, em 1975, morreu o General Franco, criando condições para o fim da ditadura espanhola.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

TEM TUDO PARA DAR CERTO


A situação política de Campos chegou a um ponto em que a população não imagina que possa acontecer algo a mais nesse rosário de acontecimentos desastrosos que povoaram os meios de comunicação da cidade e que contribuiram em muito para denegrir a imagem da cidade no restante do País e, com a eficiência e velocidade dessa mesma mídia, vender a nossa péssima reputação para o resto do mundo.

Mas não é só isso, o estrago que esses desacertos fizeram na sociedade são muito visíveis e danosos. No custo benefício de um orçamento bilionário, a conta ficou devedora em vários ítens e podemos citar dentre outros, a saúde, a educação, a violência e a empregabilidade.

No caso mais atual em que vários servidores terceirizados foram e ainda vão ser jogados no olho da rua, ficou evidenciado essa mesma cidade rica não criou novas possibilidade reais de desenvolvimento, não tendo a oferecer outras alternativas de empregabilidade. Aliás, como sugestão para a nova Prefeita e o novo Presidente do FUNDECAM, importante seria que se fizesse um levantamento e posterior amostragem para a população, dos recursos investidos e da contrapartida dos postos de trabalho com as "muitas" indústrias que Campos recebeu nos últimos anos.

Aí deve se incluir a providência de se verificar, inclusive, se o retorno desses recursos aos cofres públicos ocorreram na proporção de sua remuneração justa e da manutenção de sua saúde financeira. Na economia, um dos segmentos que mais lucraram, apesar das crises foram os bancos e o FUNDECAM, mesmo com a sua função social de gerar oportunidades, também deve ser gerido como tal.

Alguém já disse que o melhor período para o Político ainda é aquele que ocorre entre a sua eleição e a posse, quando as energias positivas que as urnas lhe deram, é possível saborear os louros da vitória e do sucesso e em que tudo são flores. E é nesse período que esse político tem que estar atento ao sentimento da população, que apontam para uma mudança radical de conceitos e procedimentos na gestão pública.

Depois de eleito, o Prefeito normalmente se isola em seu gabinete escondendo desse mesmo eleitor a quem ele lhe apertou a mão, o abraçou e se compromissou. Ele fica do lado de fora, sem poder manifestar os seus pedidos. E é aí que a nova Prefeita tem que fazer a diferença. Ela deve estabelecer uma interlocução com a sociedade, ela mesma e ouvir dela as suas prioridades. Não necessariamente uma rua alfastada precede um posto médico bem montado e bem assistido e é nessa direção que ela deve caminhar. Que de vez em quando, respeitando a questão de sua segurança, que faça reuniões bem ampliadas com os moradores dos bairros, para ouvir dos seus moradores suas queixas e desejos. Um dia ou outro, fazer uma visita surpresa aos canteiros de obras, para ver se os recursos públicos ali investidos não estão escorrendo pelos ralos da ausência de fiscalização e da irresponsabilidade administrativa. Como quem não quer nada, como o povo gosta de dizer, fazer uma visita aos postos de saúde e verificar se os funcionários estão cumprindo o seu plantão e se os remédios não ficaram pelo caminho entre a Secretaria de Saúde e o estoque para distribuição à população.

A nova Prefeita vai ter à sua disposição, apesar de não ser montado por ela, uma peça orçamentária plena, que pode ser redesenhada pela vontade da nova Câmara que se instala e que pode dar-lhe exitosa sustentação governamental. Seu antecessor, por não ouvir a população, cometeu diversos equívocos e o resultado aí está para todos verem. Pior ninguém consegueria fazer e Campos espera uma mudança profunda na questão da gestão pública. Nada pode ser pior. Tem tudo para dar certo.

domingo, 16 de novembro de 2008

ACONTECEU


Neste dia, em 1922, a BBC iniciou as suas emissões radiofônicas.

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

BEM VINDO À REDE BLOG


Estamos dando nossas boas vindas ao companheiro Erik Schunk à rede Blog. Quando militou no PT e em outros movimentos sociais, sempre teve uma atuação digna na caminhada do produzir bons políticos e boas políticas. O seu blog ainda está em construção, mas pela bagagem do seu autor, promete. Seja bem vindo.

SIMPÓSIO DE SEGURANÇA NO TRABALHO


segunda-feira, 10 de novembro de 2008

TRANSIÇÃO OU RENDIÇÃO

O que a população tem observado nos útlimos tempos é que governos que chegam ao fim dos seus mandatos, estão com muita dificuldade para cumprir com o que preceitua a lei. Fazer a passagem da gestão. Sentar-se com o novo escolhido pelos eleitores, está se constituindo um verdadeiro parto. As informações, que deveriam estar todas na internet,não são fáceis de serem providenciadas e não são por uma questão de má vontade, mas sim pela precariedade dos controles do bem público. Talvez seja essa a dificuldade para que o governo que está saindo sente-se com o que está entrando, para fazer uma transição a quatro mãos e não ao que está parecendo, uma verdadeira rendição. Durante a campanha eleitoral, ouvimos que o Portal da Transparência seria implantado pela Prefeita eleita e a população torce para que desde o primeiro dia, esta providência ocorra realmente. Não podemos esperar somente pelos organismos de fiscalização. Ultimamente a Câmara de Vereadores abriu mão dessa obrigação. O Ministério Público, quando provocado, tem se mostrado muito eficiente e a Polícia Federal tem se mostrado um ente público muito produtivo e investigativo. O que se espera da população é que se cobre publicamente da nova Prefeita e dos novos Vereadores uma gestão pública voltada para a transparência, probidade e responsabilidade com essa gestão.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

LEVANTA-TE E CAMINHA


Olhamos em redor e vemos o tecido social, de que somos os fios, a romper-se em todos os sentidos. Em todas as direcções. Já não são só os fundilhos que estão gastos. É o próprio forro, que usamos chamar de "alma", que está roto. É notória a agonia de todas as telas que fazem o fato que somos, todos em conjunto. Estão corrompidas. Não pela usura. Mas pelo mau uso. Somos, com nitidez, um fato em desagregação. É visível, com muita nitidez, a morte de todos os valores sociais. Um atrás do outro. A família. A escola. A solidariedade. A honestidade. O escrupuloso cumprimento dos deveres cívicos. Cremo-nos apenas detentores de direitos. E julgamos todos os outros apenas sujeitos de deveres. Berramos, à direita e à esquerda, pela excelência dos outros. Esquecendo-nos de que a excelência tem sempre que começar em cada um de nós. O vocábulo excelência foi substituído pelo da exigência. Cega. Surda. Muitas vezes mais que surda. Absurda. Pare aqui um pedacinho para pensar, meu Caro Leitor. Que segurança - física, cívica, moral - acha que tem? Nenhuma, não é? Se tem filhos ou netos, aprecie a educação que estamos a dar-lhes. Péssima, não é? Se ainda se interessa pela coisa pública, que qualidade política tem ao seu dispor? Baixa, não é? Sendo a Justiça o seu último recurso, quanto confia nela? Pouco, não é? Se está atingir a terceira idade, que qualidade espera para ela? Nenhuma, não é? Quando está doente, como é que é tratado? Não é tratado, não é? Se precisa de um serviço assegurado pelo Estado, como é servido? Mal, não é? Há corrupção à sua volta? Claro que há. Conhece alguém que não pague os seus impostos? Claro que conhece. Abre os jornais ou liga a televisão e só vê notícias sobre tudo isto, não é? Claro que é....Se não fizermos algo assim, se não procurarmos, pelos nossos próprios meios, com as nossas próprias forças, melhorar "isto", nem um qualquer deus nos valerá. Temos apenas uma solução para "isto". Que alguém, tido por Deus, apontou: "levanta-te e caminha!". Ou caminhamos ou ninguém fará a jornada por nós. Ficaremos, para sempre, na pré-história do desenvolvimento humano, cultural, social e económico.Excerto da crónica LEVANTA-TE E CAMINHA - Magalhães Pinto

SUGESTÕES



APRENDIZ CIDADÃO

ABRAÇANDO A PRAÇA E SUA ESCOLA

Sabemos que o nosso humilde espaço é, às vezes, espiado por visitantes ilustres. Isto ocorreu por ocasião das eleições municipais, quando declarei o meu voto pela Prefeita Rosinha, quando o Governador Antonhy Garotinho nos honrou com a sua visita.

E é apostando nessa possibilidade e na intenção do blog em fazer esse acompanhamento do trabalho da nova Prefeita, de forma crítico-construtiva e propositiva que iremos continuar a dar as nossas sugestões. Aí há que ressaltar que essas sugestões fizeram parte da minha campanha como Vereador. No entanto, os poucos 150 votos nos deixaram muito mais na intenção do que na condição de fazer esse pleito junto ao novo Executivo. Mas, mesmo de longe, camos cobrar dos que foram eleitos que eliminem o sono profundo em que a Câmara ficou imersa nos últimos 4 anos. Além disso, sugerir e torcer para que as coisas dêem certo. Afinal Campos é de e para todos nós.
Nossa proposição trata-se de uma Parceria que a Prefeitura faria com profissionais de oficinas nos Bairros, (quero adiantar, antes que um gaiato se manifeste, que mesmo tendo uma oficina de marcenaria para ocupar o meu tempo de aposentado, não estou pleiteando isso para mim, não) com remuneração para os instrutores, onde os alunos da rede pública de ensino, com as melhores notas, respeitando o Estatuto do Menor, seriam inscritos em Cursos gratuitos conveniados com Instituições Públicas de Ensino (CEFET, SENAI, SENAC) de Jardinagem, Pintura, Marcenaria, Bombeiro Hidráulico, Serralheria, Pedreiro, Eletricidade, Refrigeração,Mecânica, Vidraceiro, Informática, e outros, com ajuda decusto, seguro de vida, tíquete alimentação, vale transporte, (via convênio com o Fundo de Apoio ao Trabalhador/Ministério do Trabalho). Aí a nova Prefeita vai ter que realmente sanar a maldita inadimplência do Municípío com o Governo Federal. Para isso, o Partido dos Trabalhadores, de forma responsável, pode ajujdar nesse sentido.
Esses profissionais e instrutores e seus alunos teriam que dar a sua contrapartida de contribuição. Durante os cursos teriam as aulas práticas efetivadas no campo, trabalhando na manutenção das Escolas (consertos de carteiras e cadeiras, lousas, bebedouros, janelas e portas, pisos, pinturas no prédio, ampliações de instalações, preparo de refeições , rede elétrica e hidráulica, etc. e Praças (Jardinagem e paisagismo, consertos em balanços, escorregos e outras instalações e ou manutenções), além das ambulâncias que deveriam estar espalhadas pelos bairros e econtram-se na sua maioria, paradas por falta de manutençao.

Ao final dos cursos, eles teriam além de um certificado, a possibilidade de poderem trabalhar de forma autônoma ou serem inseridos no mercado formal de trabalho.
Esse Projeto teria dois princípios básicos - o incentivo às melhores notas e a qualificação dos alunos para o mercado de trabalho e a correspondente inibição da sua inserção em atividades não lícitas, além de estar contribuindo para a desoneração dos recursos públicos que poderiam ser aplicados em outros projetos
Na ausência de serviços nas Praças e Escolas e na manutenção das ambulâncias dos bairros, os treinandos poderiam trabalhar para a comunidade, atendendo a pequenas encomendas, sempre sobre a orientação dos Instrutores contratados para ministrar os cursos.

A renda proveniente deste atendimento serviria para custear em parte ou na sua totalidade as despesas provenientes da parceria. Como vantagens, poderíamos citar, além da desoneração dos cofres públicos, já que esses serviços de manutenção seriam feitos pelos próprios alunos, baratearia, também a montagen desse treinamento, uma vez que as oficinas já são o ambiente ideal para o aprendizado, onde os equipamentos já existem, aliado à experiência do profissional alí estabelecidos.

Além disso, com a parceria com o SEBRAE, quem sabe esses profissionais, na sua maioria vivendo informais à revelia do fisco , poderiam se transformar através dos organismos incubadores, em Empresas, gerando mais postos de trabalho e renda.

E ainda mais, através do suporte dos recursos do FUNDECAM, com financiamento (carência máxima e juros mínimos) dar uma sacudida no mercado de trabalho no varejo, uma vez que o autônomo e informal daria a garantia da criação de um mínimo de postos de trabalho, levando-se em consideração as questões legais, no que diz respeito ao trabalho de menores e de deficientes físicos. Essa é uma sugestão, lógicamente que os profissionais no assunto dariam a formatação final do tema, no sentido de proceder a sua materialização.

SUGESTÃO A PREFEITA


Quem passa diariamente pelo Parque Alzira Vargas, pode verificar que aquele próprio municipal está abandonado. Janelas caindo, vidros quebrados, jardins maltratados e certamente vai começar a abrigar pessoas e ações não muito bem recomendáveis. Ali funcionaram por um bom período a Guarda Municipal e a Postura Municipal. Como sugestão, que tal a nova Prefeita fazer daquele espaço, conforme as suas propostas de campanha, uma Vila Olímpica. Ali, para quem se lembra, até já funcionou uma piscina.

domingo, 2 de novembro de 2008

Errata.

Na matéria acima foi a palavra espiada foi digitada com x, equivocadamente.

MUDANDO O VERBO


Durante a campanha eleitoral deste ano, como candidato a Vereador depois de fazer a diferença na propaganda eleitoral, tive a idéia de confecionar um poste ambulante para fazer a minha propaganda. Quando a peça publicitária chegou ao centro da cidade, passados alguns minutos, logo apareceu um fotógrafo de um dos jornais para fazer a cobertura, já que era uma novidade nunca vista em um eleição. Foram tiradas algumas fotografias de vários ângulos para a matéria. O poste foi um sucesso provocando muitos comentários elogiosos.

Um companheiro, fez a observação de que a minha campanha estaria se deslanchando a partir daquele dia. Todavia, eu disse para esse mesmo companheiro de que aquela matéria nem sairia. No dia seguinte, foi confirmado.

Apesar de ser uma excelente idéia,e da minha aparição na televisão ter sido considerada por esse mesmo jornal como o melhor comercial, quando a fotografia chegou à redação, veio a ordem para não publicar, pois o candidato a Prefeito do jornal não aparecia na foto.

Além da matéria não aparecer nas páginas do jornal, um dos seus colunistas ao fazer o seu painel político, ainda esculhambou a idéia. A narrativa sobre esse episódio vem demonstrar que a situação do jornalismo em Campos, precisa de uma análise mais profunda da sociedade, como também uma cobrança pelo retorno do autêntico acompanhar dos fatos.

Terminadas as eleições, o eleitor por menos politizado que seja,mesmo que seja aquele que acostumado a uma simples expiada nas machetes dos matutinos pendurados nas bancas, percebe uma visível alteração nas manchetes.

Aquele leitor que assina esse jornal ou que o compra nas bancas, quando debruça numa leitura mais apurada, verifica que o jornal que sempre fez a defesa incondicional do governo que está saindo, já começa a emitir seus comentários fiéis aos fatos, esquecendo-se de que esses mesmos fatos sempre existiram, com origens e explicações, causas e efeitos,só que os recursos públicos inibiam uma análise honesta dos acontecimentos, a mostrar que o verbo e a opinião dependiam da verba.

Seguidores

Loading...