quinta-feira, 29 de setembro de 2011

REINVENTANDO A POLITICA

Mais uma vez a mídia não convencional coloca a nossa Campos com as suas vísceras expostas. São fatos, fotos e falas. E aí não dá para esconder as coisas. A velocidade e a competência das redes sociais estão ganhando uma eficiência e velocidade descomunal. Em segundos, do Chui aos Esquimós, do Oiapoque as Malvinas, todos ficam sabendo o que somos, fazemos ou deixamos de fazer.

São excelentes juristas, jornalistas, sociólogos, cientistas políticos que estão deixando em segundo plano a mídia secular que nem sempre tem a competência ou independência para mostrar os fatos. É   um verdadeiro reality show que já se prolonga pelos  últimos cinco anos.

Os eventos políticos com desdobramentos jurídicos e policiais estão  a exigir  de todos nós uma reação, já que nossa cidade está sendo mostrada  ao Brasil e ao mundo por um  lado que não gostaríamos de ser conhecidos. E não dá para silenciarmos nossa consciência e equecer que ao nosso lado ainda tem pessoas que não tem o trocado para o pão de manhã, e que suas dores abafam a vontade de reclamar de que não tem médico nem remédio.

Há uma necessidade urgente de reinventarmos a política, cuja relação candidato/eleitor fosse mais tranquila,  pacífica e duradoura, sem os sobressaltos que nos faz perder o sono.

Afinal as instituições apesar de ao longo dos tempos, como o próprio processo político,  estarem  também adoecidas, elas ainda fazem parte de processo de vigilância e convivência democrática.

Era assim, por que mudou? De de um lado o candidato pede o voto,  e em troca oferece apenas o desempenho com probidade e moral no cargo para o qual se elege. Do outro, o eleitor se dá por satisfeito e a permanência no poder se faz apenas por essa relação sadia.

Talvez essa mesma rede social por essa velocidade e competência poderia estartar esse processo de cura. Está bem perto, ao alcance das mãos. Quem sabe aprender a identificar ceder a vez para alguém que de preferência possa colocar o sino no gato.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

INVERTENDO A SINALIZAÇÃO

Após 5 anos de existência, o Blog Conversando inicia uma nova fase. Durante todo esse tempo nossos olhares e dedos apontavam para o próximo, algumas vezes ácidos, rigorosos e críticos, outras não tanto, mas sempre tendo como foco o outro.

Resolvemos mudar o olhar,  inverter a sinalização. Jogar a luz para dentro  e mudar a  mim mesmo, afinal o mundo é muito grande para eu mudar e o próximo pode até mudar, quando isso acontece comigo.

Até por uma questão funcional, hoje ocupando a Presidência de um Templo Espiritualista Cristão, conhecido como Doutrina do Amanhecer, estou começando uma nova jornada procurando aprender a caminhar, conviver e mudar.

Muitas vezes nos preocupamos em demasia olhando a caminhada do outro e esquecemos que podemos fazer muito mais cuidando da própria casa. Mudo o mundo se eu mudar a mim mesmo. E já é um bom começo, quando faço a minha escolha por esse tipo de mudança.

Todo esse cenário que temos a nossa disposição para atuar não está assim por um acaso. Fomos todos nós que o fizemos assim, seja pelo equívoco da escolha, ou pelo conforto da omissão omissão . Mas nesse palco temos alguma coisa a ver, estejamos nele ou assistindo. Quem está à frente, puxando a fila não é nenhum extra-terrestre é um humano igual a nós, produção e fruto da mesma sociedade.

Precisamos desrelativar os conceitos de moral que antes eram absolutos, cuidar mais dos nossos quintais para que novas cabeças assum o primeiro lugar da fila. Ainda não pretendo ser aquele beija-flor que quer apagar o incêndio com o seu diminuto bico, mas já me satisfaz quando tenho votade de chegar até o  riacho. Não parece muito mas se eu cuidar de mim e mudar posso talvez convencer aos que estão em meu redor, de que isso é possível.

Seguidores

Loading...