domingo, 14 de dezembro de 2008

ESGOTO A CEU ABERTO



Em 1996, a Prefeitura Municipal de Campos dos Goytacazes, através da sua Câmara de Vereadores, privatizou os serviços de distribuição, tratamento e coleta de água e esgoto do Município de Campos dos Goytacazes, até então por conta da Estatal CEDAE. Houve alguma melhora, é claro que houve. Mas havia naquele contrato um compromisso paulatino da coleta e do tratamento do esgoto da cidade. Todavia, essa concessão até hoje ainda não foi muito bem explicada pelos vereadores, alguns deles ainda no atual cenário político. Esse assunto, quando suscitado poucos políticos tem interesse em aprofundar-se nele e a sociedade fica na condição de nunca ou ser a última a saber.

Alguns temas específicos, como prazo da concessão,seu valor, área geográfica da sua abrangência e, por aí, vão aparecendo alguns assuntos inconvenientes e até ruborizantes. Mesmo guardados sob um imenso sigilo, o que escapou dessa negativa por parte dos políticos em explicar já são do conhecimento de parte da população, mesmo com várias dúvidas.

Como exemplo, poderíamos citar que na sua concessão, existia uma obrigação por parte da empresa Concessionária Águas do Paraiba, em cuidar desse segmento de prestação de serviços em todo o Município. Mais tarde, parece que na calada da noite, a Câmara Municipal alterou cláusulas desse contrato, restringindo a sua área de atuação exclusiva para o perímetro urbano, o que por si só já é subjetivo, tendo em vista o avanço dos espaços urbanos, em direção aos mais distantes limites do Município.

Outra questão que tem que ser explicada, por não estar muito clara, é a relação que existe entre o poder concedente e a empresa concessionária, com os dois entes se confundindo na obrigatorieda da construção de novas redes de coleta e distribuição de água e esgoto, como também das ETA's (Estações de Tratamento de Esgoto). Essa dúvida se acentua quando das campanhas institucionais da Prefeitura, se dizendo autora desses empreendimentos.

Hoje já se passaram 12 anos e o que se vê é uma agressão muito forte aos nossos rios, valões e outros mananciais hídricos, como por exemplo o valão Campos Macaé, Lagoa do Vigário. Parece que finalmente chegou a hora. Nova Prefeita, nova Câmara de Vereadores e a expectativa que através do Portal da Transparência esses mitos seja explicados e a população seja tratada com o devido respeito. Além disso, com a palavra alguns políticos daquela época que ainda estão ocupando cargos de representação popular.

2 comentários:

Anônimo disse...

Se depender da nova Prefeita, parece que a Aguas do Paraiba vai ter que corrigir a execução do contrato. Pelo menos, na televisão, Rosinha falou que uma das primeiras medidas do seu governo, seria chamar a Empresal para fazer o devido enquadramento.
Pedro Dias

Anônimo disse...

É mesmo, a Rosinha vai resolver esse problema, assim que outra empresa quiser tomar o lugar da Aguas do Brasil e encher o bolso dela de grana...
Ai ela faz alguma coisa...

Porém eu duvido que isso ocorra.

Alina

Seguidores

Loading...